terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Mortalidade infantil cai pela metade no Brasil.

O Brasil conseguiu reduzir quase pela metade a taxa de mortalidade infantil entre 1990 e 2006, de 46,9 por mil para 24,9 por mil nascidos vivos, mas continuam muito grandes as disparidades entre as diversas regiões do país e entre diferentes grupos étnicos e raciais.

Os dados são do relatório Situação Mundial da Infância 2008 – Sobrevivência Infantil, divulgado nesta terça-feira pelo Unicef, agência das Nações Unidas para a infância, e referem-se a mortes de crianças com menos de um ano.

“O Brasil avançou mais do que a média mundial, o grande problema é a disparidade tanto entre as diferentes regiões como grupos étnicos”, afirmou a representante do Unicef no Brasil, Marie-Pierre Poirier. “O Brasil está no caminho certo, mas não saiu do túnel ainda”, disse ela.

É importante lembrar que 24,9 por mil é taxa de mortalidade infantil para o Brasil. No Nordeste a situação é ainda mais complicada, uma vez que a cada grupo de mil crianças nascidas vivas morrem aproximadamente 37 antes de completar um ano de idade!

2 comentários:

Jéssica Miranda disse...

Fico muitoooo feliz pela queda da taxa de mortalidade infantil no Brasil.Fico mais contente ainda em saber que o Brasil está de braços abertos para receber nossas criancinhas!Ele vai proporcionara ótima qualidade de vida pra elas!Saúde de perfeita qualidade,melhor educação escolar do mundo,comida,cultura,diverção,arte.
Nossa, realmente nosso BRASIL é um páis desenvolvido.As crianças devem estar ansiosas para sair do ventre da mãe e contemplar nossa natureza preservada e a dignidade do povo principalmente dos seus politicos! :D

Jéssica Miranda disse...

país*