quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Lembrei de você neste fim de ano (por André Nogueira)

Lembrei de você...não só por lembrar, mas por querer lembrar. Lembrar que neste ano, apesar dos desencontros, das dificuldades, da distância....Apesar das circunstâncias, seguimos em frente, estando perto ou não, buscamos ensinar, aprender, falar e principalmente ouvir. E viver cada dia, correr atrás, buscar nossos objetivos. o ano foi passando...Ás vezes despercebido, às vezes deixando marcas. É assim o tempo, assim são as pessoas. E agora um novo ano se aproxima e com ele novos projetos, novos desafios, novos risco e incertezas. Mas, também novas expectativas e oportunidades, novos sonhos e também realizaçaões. Não vai ser fácil, Mas quem disse que a vida é fácil, que ser humano é fácil? Mas isso nos torna diferentes, que nos fortalece e dá um signifcado verdadeiro as nossas vidas, um significado puro, quase divino. Como o nascer ou por-do-Sol ; como um sorriso de criança; um abraço sincero, um futebol com os amigos numa tarde de chuva fina. E assim, um novo ano se aproxima. Resta a gente construí-lo e depois saber como ele será lembrado.
FELIZ ANO NOVO, MUITA PAZ, SAÚDE E SUCESSO PARA TODOS NÓS!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Feras, chegou a hora!

Feras,

depois de uma longa jornada de estudos e muita dedicação às aulas chegou a hora da verdade. Muita calma, essa é a receita do sucesso!

Tenho, absoluta, convicção de que todos estão preparados e de que a UFPE os aguarada de portas abertas.

Sentirei saudades, mas fico feliz quando lembro de que um dia os encontrarei como grandes profissionais e cidadãos que irão fazer do Brasil um País de respeito.

Sucesso, meus amigos. Rumo à vitória!

A VIDA É MARAVILHOSA!

Quando dorme a razão, monstros são produzidos. Marcello Borges

Quando dorme a razão, monstros são produzidos
(frase de goya em um de seus quadros.)


- Uma ode a razão, proclama a sombra

A razão algo que é cultuada por tantos e é o arcabouço de vários discursos inflamados o próprio Lincon usava seus argumentos retóricos imbuídos de racionalidade para estimular o exército a cada vez que ele esmorecia na guerra de secessão. Mas a minha pergunte surge quando pergunto, os soldados usaram a razão, tal como Lincon usou para convencê-los?

A idade média é conhecida como a idade das trevas, a falta de luz a falta de racionalidade, mas seria realmente uma idade onde a razão inexistiu e foram proclamados feitos desprovidos de substância?

O racionalismo veio e construiu uma época em que tudo que não fosse razão não merecia crédito, tudo tinha uma explicação. Isto serviu para a quebra dos valores católicos que homogeneizavam a política, a cultura e as ciências. Com o simples fato de crença você poderia ter a explicação de tudo. Porém a razão é algo que pode explicar tudo? A razão tem esta preocupação de explicar tudo?

Guerras no mundo surgiram, ditadores ascenderam e foram depostos e a racionalidade se mostrou a personagem não principal, mas fundamental na configuração de todos estes tempos.

Cada vez que a razão cochilou monstros foram produzidos: o grande monstro católico da idade média; o grande monstro Leviatã do absolutismo; o grande monstro ditatorial fascista ou comunista; a grande besta-fera do racismo, o grande monstro do consumismo; o grande monstro do ódio e intolerância.

Todos estes episódios formam a demonstração de que basta não dormir, mas apenas um cochilo da razão que surgem personagens querendo se aproveitar deste momento. Porém a cada vez que a razão foi despertada e provocada surgiram soluções, a maioria das vezes pontuais para nossos problemas. A solução para o fim do absolutismo foram as revoluções burguesas embuídas de uma racionalidade de que aquele regime não mais favorecia aos seus anseios, e cheios desta racionalidade convenceram o povo para alcançarem seu triunfo.

A racionalidade é uma faca de dois gumes, tanto serve para o bem, quanto é uma arma dos que se dizem do bem para fazer o mal.

Porém não podemos deixar de trazer a tona um personagem que é diretamente influenciado por estes fluxos: o povo.

O conceito de povo ou a massa povo, é figura célebre que demonstra o estado de racionalidade de uma geração. Percebemos isto na idade média e o comportamento desenvolvido por eles; ou até nos tempos atuais com todos crentes numa racionalidade para o bem do planeta se esforçam na diminuição da poluição do planeta. Não é racional? O mundo se continuar assim será destruído! Será?

O coerente de observar é que a cada época de falta de razão sucede uma com um culto a racionalidade, e até na própria falta da racionalidade ela é operada para sustentar as bases do mal. Hittler usava de suas verdades para convencer, Mussolini, Luis XIV todos eles sabiam que defender seu ponto de vista e convencer o povo de sua racionalidade.

A cada época de falta de racionalidade vem outra com racionalidade.o absolutismo consolidou suas bases numa falta pontual de racionalidade do povo em relação a argumentação política. Hittler mostrou para a Alemanha sua tese racional, mas o povo não foi racional.

Esta nossa época demonstra uma racionalidade ou falta de racionalidade? O que importa é que mudanças estão surgindo e quando há mudanças é sinônimo de que alguém está pensando. Foi assim ao longo dos tempos e continuará sempre assim...?

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Lula conselheiro!


UNIÃO EUROPEIA: Tratado de Lisboa entra em vigor.

O Tratado de Lisboa entra em vigor, introduzindo novas regras para a administração do bloco europeu.
Na verdade, são dois acordos que foram assinados na capital portuguesa, Lisboa, em 13 de Dezembro de 2007. Um deles é sobre a União Europeia e o outro, sobre o modo de trabalho do bloco. Os tratados de Lisboa unem todos os acordos em vigor até agora – os de Roma, Maastricht, Amsterdã e Nice –, alinhavando os conteúdos desses documentos. À parte da criação de instituições, competências e procedimentos novos, o tratado que passa a vigorar nesta terça-feira (01/12) não é muito diferente de seus antecessores.
Resultado de quase oito anos de discussão, o Tratado de Lisboa dá mais força ao Parlamento Europeu. Os deputados em Estrasburgo passam a ter mais poder de decisão em quase todos os âmbitos políticos, juntamente com o Conselho de Ministros, a representação dos 27 países-membros.

O documento também cria dois novos postos de liderança. Herman Van Rompuy, até há pouco tempo um desconhecido chefe de governo da Bélgica, assume um mandato de dois anos e meio como presidente do Conselho Europeu, o grêmio de chefes de governo e de Estado que determina as diretrizes da política europeia.

Herman Van Rompuy quer ser um mediador. Em seu discurso de posse, nesta terça-feira (01/12), ele afirmou que suas opiniões pessoais não importam. A britânica Catherine Ashton, também praticamente desconhecida no panorama internacional, será nos próximos cinco anos a alta representante para a política externa e segurança da UE.

Importante para os candidatos

O Tratado de Lisboa será importante principalmente para os candidatos a ingressarem no bloco. Croácia e os outros países dos Bálcãs só poderão ser aceitos depois que passar a vigorar o novo tratado, planejado para permitir que a UE funcione com 30 ou mais integrantes.

O documento não chega a ser uma Constituição e nada especial do ponto de vista jurídico, acredita Christoph Möllers, professor de Direito Público na Universidade Humboldt, de Berlim. Desde os tratados de Roma de 1958, os países-membros firmaram acordos se comprometendo a fundar determinados órgãos, o que também se repetiu desta vez.

“ Isso não é nenhuma novidade. O engraçado da integração europeia é que ela é feita em pequenos passos, de modo que nunca chegaremos a esse ponto de Arquimedes, onde poderíamos dizer que passou a existir algo fundamentalmente novo”, afirmou Möllers. Mesmo assim, segundo sua avaliação, o bloco mudou bastante nos últimos 30 anos.
O novo tratado europeu não cria Estados novos, nem um super-Estado, assinalou o presidente tcheco Vaclav Klaus. A União Europeia continua sendo uma associação de países. “Super-Estado é uma categoria que não combina com a UE. Ela é um grande aparato burocrático que representa os países que a integram e no qual eles ainda detêm a maior influência”, explica Möllers.
A UE se torna mais democrática com o novo tratado, mas os padrões de democracia são, em parte, diferentes dos encontrados nos Estados nacionais, segundo o especialista.
O Tratado de Lisboa cria, pela primeira vez, um catálogo geral de direitos fundamentais como parte integrante do direito da UE. No entanto, os direitos fundamentais garantidos pelas Constituições nacionais permanecem intocados.
Segundo o jurista Jo Leinen, especialista em Tratado de Lisboa no Parlamento Europeu, os direitos fundamentais garantidos pelo acordo europeu não podem ser reclamados na Corte Europeia de Justiça, em Luxemburgo. "A via judicial continua sendo os tribunais nacionais“, afirma Leinen.
“Como cidadão, não posso recorrer diretamente a Luxemburgo, a não ser que uma decisão da EU atinja diretamente um cidadão. Esse caso é bastante raro, pois fazemos leis a serem aplicadas em âmbito nacional. Mas o catálogo de direitos fundamentais serve de referência para a interpretação da soberania europeia”, explica. Os tribunais europeus irão se nortear por ela para tomar decisões de âmbito nacional, acredita Leinen.
O novo tratado europeu inclui inúmeros protocolos, explicações e apêndices nos quais os membros conseguiram negociar uma grande quantidade de exceções para si. A Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia, por exemplo, não é vinculativa para Reino Unido, Polônia e República Tcheca devido às restrições de ordem constitucional levantadas por esses países.

Autor: Bernd Riegert
01/12/2009.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Resolução GEOGRAFIA – UPE/2010

Comentários da prova de geografia UPE 2010, por
Professores: Amália Guimarães, André Gustavo e Gustavo Borges (Colégio Boa Viagem - CBV)

1) Gabarito “d”
Alternativa 1 (falsa), pois a velocidade de deslocamento do vento é DIRETAMENTE
proporcional a variação de pressão atmosférica.
Alternativa 2 (falsa), os furacões tropicais não ocorrem na região da Inglaterra e exigem
oceanos aquecidos, como exemplo, o mar do Caribe.

2) Gabarito “e”
Sobre os movimentos rápidos de massa no Recife e métodos de amenização desse
fenômeno.
Todas as alternativas são verdadeiras.

3) Gabarito “c”
Os blocos diagrama da questão ilustram as FALHAS GEOLÓGICAS decorrentes de
atividades tectônicas.

4) Gabarito “d”
A questão destaca, no mapa, o Afeganistão, representado pelo n.º 4, em que
supostamente estaria escondido o terrorista OSAMA BIN LADEN, após os atentados de 11 de
setembro de 2001, nos EUA.

5) Gabarito “e”
A questão aborda a temática CIDADANIA, que deveria ser explorada de forma mais
adequada na prova de SOCIOLOGIA, embora não tenha causado dificuldades para o FERA
chegar ao gabarito correto.

6) Gabarito “e”
Sobre o Proálcool, programa nacionalista da ditadura militar, de 1975, com o objetivo
de diminuir a dependência na importação do petróleo arábico, o importante era fornecer
biocombustíveis ao mercado interno, em um contexto internacional de crise do petróleo.

7) Gabarito “b”
O objeto de estudo da ciência geográfica é o espaço socializado, produto da ação do
homem.

8) Gabarito “c”
A imagem de satélite identifica um furacão, formado em áreas de baixas pressões
atmosféricas e sobre oceanos aquecidos, podemos denominar este fenômeno de ciclone
tropical, com ventos que ultrapassam 117 km/h.

9) Gabarito “b”
A paisagem geomorfológica foi modelada pelo agente fluvial, em que a feição do relevo
identificada como 1 representa os terraços fluviais.
10) Gabarito “d”
Sobre cartografia, um dos elementos do mapa é a escala numérica, em que a grandeza
da escala é inversamente proporcional ao tamanho do denominador.

11)
Falsa I – Na proposição I, a área 2 corresponde ao complexo do pantanal típico de clima
tropical continental.
Falsa IV – Na proposição IV, a área 1 representa o domínio do cerrado com formações
arbustivas e heteróclitas que refletem a pobreza nutricional dos solos ácidos.

12)
Aborda o tema Fontes de energia; todas as alternativas são verdadeiras.

13) Gabarito I - 0, 1 e 4
II – 2 e 3
Falsa 2 – A impermeabilização dos solos interfere diretamente no ciclo hidrológico, pois
diminui, por exemplo, a capacidade do solo de absorver a água precipitada que não
comprometerá o abastecimento ou renovação dos mananciais.
Falsa 3 – A urbanização nos países subdesenvolvidos pode interferir diretamente nos
microclimas, fazendo surgir, por exemplo, as chamadas “ilhas de calor” nos grandes centros
urbanos que acaba fazendo surgir microclimas urbanos.

14) Gabarito I 2, 3 e 4
II 0, 1
Falsa 0 – Os divisores de água na fase da juventude tendem a ser amplos e algumas vezes
planos devido ao curto ciclo ou tempo de erosão desenvolvido pelo rio.
Falsa 1 – Na senilidade, o rio torna-se lento, devido à grande carga de sedimentos
transportados, aos seus meandros e a sua reduzida declividade.

domingo, 22 de novembro de 2009

Concurso da PM - PE: Comentário da prova.

Depois de muita expectativa e trabalho, finalmente, chegou o dia da prova do concurso da PM do Estado de PERNAMBUCO. Este ano a prova foi elaborada pela UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - UPE.
A prova de Geografia, ao contrário do que era de se esperar, foi muito fácil e pobre, diante do conteúdo exigido. Os candidatos devem ter adorado, mas a necessidade de se acertar todas as questões passa a ser vital para garatir a vaga.
As questões abordaram os seguintes temas:
01 questão de Geografia Urbana, sobre as causas do processo de urbanização brasileira, trivial;
02 questões de Demografia, crescimento da população e movimentos horizontais da população, meramente conceituais, que não exigiam muito de conhecimentos geográficos para resolução;
01 questão sobre as características e níveis de integração dos blocos econômicos, sem muitas surpresas e;
01 questão sobre os aspectos gerais das regiões naturais do estado de Pernambuco, deixando temas como o crescimento econômico do estado de lado.
Embora tenha sido cobrado no edital, o tema CLIMAS DO NORDESTE, ao contrário da última prova, realizada pelo IPAD em 2006, não foi contemplado o que, certamente, deve ter frustrado muitos candidatos.
Com enunciados curtos e diretos e sem a presença de textos que exigissem uma linha de racíonio para resolução das questões além da ausência de MAPAS (acreditem!), GRÁFICOS, TABELAS/QUADROS e ILUSTRAÇÕES a prova foi um premio para aquele candidato que não estudou ou se preparou para realizar o exame.
Baixe aqui a prova e o gabarito
Boa sorte a todos candidatos. Sucesso!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Comentários da prova 1ª ano SSA/UPE (por Daniel Montarroyos e Gustavo Borges)

Infelizmente, a prova não apresenta coerência com o conteúdo divulgado, porquanto a questão 38, sobre demografia, não consta no programa alterado pela UPE no segundo semestre. Houve uma valorização dos temas relacionados à climatologia, em detrimento de outros conteúdos, como: geologia, geomorfologia e recursos hídricos.

Mais uma vez, o nível da prova ficou abaixo das expectativas, exigindo muito pouco da capacidade de interpretação e contextualização.

A elaboração das questões apresenta clareza, não havendo problemas de interpretação por parte do candidato.

As ilustrações apresentam-se nítidas e claras, todas com boa qualidade. No entanto, para uma prova de Geografia, a ausência de ferramentas cartográficas (mapas, imagens de satélite etc.) é um ponto a ser destacado, tendo em vista constituírem um importante instrumento da análise geográfica.

Esperamos que a UPE reveja e anule a questão 38, sobre demografia, uma vez que o conteúdo exigido não consta no programa divulgado para o SSA, triênio 2009-2011.

Resoluções

1) O princípio da extensão ou localização, elaborado por Alexander Von Humboldt, é o princípio básico da Geografia, que destaca a importância das ciências auxiliares, como a cartografia, na delimitação e localização dos fatos geográficos.
Resposta: "e"

2) A Teoria MALTHUSIANA, elaborada pelo economista Thomas R. Malthus relaciona o crescimento populacional e a produção de alimentos, sugerindo o controle da natalidade como forma de evitar a crise de abastecimento alimentar mundial.
Resposta: "c"

3) A questão é bastante simples, abordando a orientação espacial. Como não há a presença do norte de referência e do horário, da região em questão, é impossível dizer se o sentido percorrido pelo rio seja LESTE ou OESTE.

4) A região Norte do Brasil está submetida às invasões da MEC (Massa Equatorial Continental) causando chuvas torrenciais, ao longo do ano, com baixas amplitudes térmicas.
Resposta: "a"

5) O gráfico relaciona a variação de ALTITUDE e TEMPERATURA na atmosfera terrestre. Na região destacada do gráfico, mostra uma elevação da temperatura, quando esta deveria ser mais baixa, evidenciando a INVERSÃO TÉRMICA.
RESPOSTA: "b"

6) A alternativa 2-2 destaca que a poluição atmosférica se concentra na camada ESTRATOSFERA, quando na realidade esta concentração acontece na camada mais baixa da atmosfera, a TROPOSFERA.
Resposta: "0, 1, 3 e 4"

Daniel Montarroyos e Gustavo Borges são professores dp COLÉGIO BOA VIAGEM - CBV -Recife-PE

domingo, 15 de novembro de 2009

Ideologia,é necessário uma para viver? (Por Marcello Borba)

É um marco teórico recorrente, principalmente quando surgem criticas a postura que se vem traçando nos jovens que comporão a sociedade, o fenômeno da despolitização ou falta de ideologia destas pessoas.

Primeiro ponto entender ideologia em seu sentido lato como algo que vem antes de determinado ato. Por exemplo, quando você vai abrir a boca para emitir sua opinião sobre determinado fato você vai argumentar em prol daquilo que defende, acredita ou estudou, pois bem, tudo isso faz parte de uma gama de conhecimento que pode ser denominado ideologia. Acreditar, defender e propor.

Segundo ponto, não estou fazendo nenhum tratado científico ou algo para defender qualquer corrente ideológica.

Ideologia é o que move o mundo? O que fez a Rússia virar socialista foi o fato de algumas pessoas acreditarem numa forma de pensamento. O que fez a Alemanha virar nazista foi o fato dos alemãs daquele tempo acreditarem num ideal.

Então ideologia é algo anterior a qualquer atitude (consciente?) de uma pessoa. Neste ponto estaria dizendo que ideologia é algo racional que acreditamos e, porque não, defendemos.

Porém pode uma ideologia nos cegar, este algo anterior a nós, que determina nossas atitudes pode nos determinar uma visão de mundo sempre marcante por uma linha que pode simplesmente simplificar o fato por aquela forma de corrente que defendemos. Isto é prejudicial porque não é possível enxergar nada a sua frente que sua ideologia não permita, os fatos são ou não são concordantes com sua forma de visão, se são estão certos, se não são, estão errados. Só assim posso explicar a guerra entre muçulmanos e cristãos; socialistas e capitalistas.

Fenômeno pior é o da falta de ideologia, uma cegueira que é complicada de se tratar pois é difícil a pessoa se dizer sem ideologia; estas pessoas são mais fáceis de serem ludibriadas por correntes oportunistas pelo simples fato de não terem uma posição coerente sobre suas atitudes são facilmente convencidas de um ponto que desconhecem, pelo fato de não terem capacidade de reflexão sobre este novo pensamento.

Ideologia é algo bom, muito bom. Viver com um ideal, acreditar, lutar por um marco. O que não deve ser defendida é a ideologia cega que leva ao autoritarismo e endeusamento de uma das várias formas de se enxergar o mundo.

Quando Cazuza profere: ideologia, eu quero uma para viver! Ele estava vivendo um momento de apatia e enfraquecimento de uma corrente ideológica que era a socialista e a “vitória” do capitalismo uma outra corrente que coisifica as pessoas que são de seu sistema tornando-as irracionas, sem saber que estão proferindo uma ideologia e vivendo um estilo de vida posto, às vezes que não é o seu. Então nada mais natural seu pessimismo por ver as pessoas se desiludindo sem perspectivas. Pois o que alimenta uma ideologia é o fato de existir outra oposta a ela, sua função é derruba-la, provar que a sua é melhor. E quando consegue, o que resta? A luta acaba? Não acaba, mas perde sentido até que outra surja, ou a vencida volte para contrapor novamente.

Não quero definir as ideologias como ideologia boa e ideologia má. Não. Mas salientar que das duas posso tirar várias formas de ver o mundo, todas elas corretas e erradas, dependendo do referencial. Para mim a corrente X emite uma verdade válida, para você Y e até a negação de verdade é uma forma de seguir algo, seguir a descrença.

Quando Bertoldt Brecht profere o analfabeto político, ele diz não só a sua forma de pensamento, mas também uma crítica a apatia de vivenciar a política, de enxergar que o mundo ao seu redor, este mundo de crises, continua e sempre continuará a ter diferentes formas de pensamento que o levarão a um fim. Ele condena não só a apatia, mas a inércia, a fraqueza, o orgulho de bater no peito e dizer: “sou alienado e pronto.”

Alienação é isto que causa a cegueira de querer ver só seu pensamento, e a de negar todos os pensamentos. Alienado é simplesmente um ser cheio de si, mas que desconhece o mundo que o cerca.

Ideologia,é necessário uma para viver?

É um marco teórico recorrente, principalmente quando surgem criticas a postura que se vem traçando nos jovens que comporão a sociedade, o fenômeno da despolitização ou falta de ideologia destas pessoas.

Primeiro ponto entender ideologia em seu sentido lato como algo que vem antes de determinado ato. Por exemplo, quando você vai abrir a boca para emitir sua opinião sobre determinado fato você vai argumentar em prol daquilo que defende, acredita ou estudou, pois bem, tudo isso faz parte de uma gama de conhecimento que pode ser denominado ideologia. Acreditar, defender e propor.

Segundo ponto, não estou fazendo nenhum tratado científico ou algo para defender qualquer corrente ideológica.

Ideologia é o que move o mundo? O que fez a Rússia virar socialista foi o fato de algumas pessoas acreditarem numa forma de pensamento. O que fez a Alemanha virar nazista foi o fato dos alemãs daquele tempo acreditarem num ideal.

Então ideologia é algo anterior a qualquer atitude (consciente?) de uma pessoa. Neste ponto estaria dizendo que ideologia é algo racional que acreditamos e, porque não, defendemos.

Porém pode uma ideologia nos cegar, este algo anterior a nós, que determina nossas atitudes pode nos determinar uma visão de mundo sempre marcante por uma linha que pode simplesmente simplificar o fato por aquela forma de corrente que defendemos. Isto é prejudicial porque não é possível enxergar nada a sua frente que sua ideologia não permita, os fatos são ou não são concordantes com sua forma de visão, se são estão certos, se não são, estão errados. Só assim posso explicar a guerra entre muçulmanos e cristãos; socialistas e capitalistas.

Fenômeno pior é o da falta de ideologia, uma cegueira que é complicada de se tratar pois é difícil a pessoa se dizer sem ideologia; estas pessoas são mais fáceis de serem ludibriadas por correntes oportunistas pelo simples fato de não terem uma posição coerente sobre suas atitudes são facilmente convencidas de um ponto que desconhecem, pelo fato de não terem capacidade de reflexão sobre este novo pensamento.

Ideologia é algo bom, muito bom. Viver com um ideal, acreditar, lutar por um marco. O que não deve ser defendida é a ideologia cega que leva ao autoritarismo e endeusamento de uma das várias formas de se enxergar o mundo.

Quando Cazuza profere: ideologia, eu quero uma para viver! Ele estava vivendo um momento de apatia e enfraquecimento de uma corrente ideológica que era a socialista e a “vitória” do capitalismo uma outra corrente que coisifica as pessoas que são de seu sistema tornando-as irracionas, sem saber que estão proferindo uma ideologia e vivendo um estilo de vida posto, às vezes que não é o seu. Então nada mais natural seu pessimismo por ver as pessoas se desiludindo sem perspectivas. Pois o que alimenta uma ideologia é o fato de existir outra oposta a ela, sua função é derruba-la, provar que a sua é melhor. E quando consegue, o que resta? A luta acaba? Não acaba, mas perde sentido até que outra surja, ou a vencida volte para contrapor novamente.

Não quero definir as ideologias como ideologia boa e ideologia má. Não. Mas salientar que das duas posso tirar várias formas de ver o mundo, todas elas corretas e erradas, dependendo do referencial. Para mim a corrente X emite uma verdade válida, para você Y e até a negação de verdade é uma forma de seguir algo, seguir a descrença.

Quando Bertoldt Brecht profere o analfabeto político, ele diz não só a sua forma de pensamento, mas também uma crítica a apatia de vivenciar a política, de enxergar que o mundo ao seu redor, este mundo de crises, continua e sempre continuará a ter diferentes formas de pensamento que o levarão a um fim. Ele condena não só a apatia, mas a inércia, a fraqueza, o orgulho de bater no peito e dizer: “sou alienado e pronto.”

Alienação é isto que causa a cegueira de querer ver só seu pensamento, e a de negar todos os pensamentos. Alienado é simplesmente um ser cheio de si, mas que desconhece o mundo que o cerca.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

20 anos da queda do MURO DA VERGONHA.

No próximo dia 09/11/2009 o MUNDO celebra os vinte anos da queda do famigerado MURO DE BERLIM. Na Alemanha, as comemorações começaram nesta quinta-feira com um show da banda (politicamente correta) irlandesa, U2, em frente ao lendário Portão de Brandemburgo.
Na última terça-feira, dia 03 de novembro, a chanceler alemã ANGELA MERKEL, discursou para o um senado estadounidense lotado, e de pé para aplaudí-la. Foi a primeira vez, depois de mais de 50 anos, desde a visita de Konrad Adenauer, que um líder alemão é covidado para discursar no congresso do "tio Sam". Merkel, lembrou que no mesmo dia em que os alemães, e o mundo, celebram os 20 anos da queda do "Berliner mauer", é também "aniversário" da NOITE DOS CRISTAIS, quando em 1938 os nazistas atacaram judeus em toda a Alemanha, dando inícios aos horrores do holocausto.
A queda do muro é um momento da história que particularmente, muito me emociona, pois durante toda minha infância e adolescência ouvi e li bastante sobre a GUERRA FRIA e, sobretudo a respeito da Alemanha (daí meu interesse em aprender o idioma alemão e também em conhecer a terra de Göethe). Talvez o fato de ter VIVIDO este momento histórico, seja a causa, principal, da minha emoção, em falar sobre o tema.
Das muitas lembranças, me recordo dos filmes, sempre na visão dos EUA, sobre a Guerra Fria (Rambo, Rocky, 007 entre tantos outros), das músicas do grupo alemão SCORPIONS, com seu WIND OF CHANGE, das imagens de REAGAN e GORBATCHEV nos telejornais, das disputas esportistas durante os jogos olímpicos e, claro, dos livros na estante do meu pai, "seu" Manoel.
Espero poder ficar grudado, diante da tv, assistindo a todos os especiais que serão exibidos durante os próximos dias. Mais ancioso, espero, poder ir à Berlim caminhar sobre a Bernauer Straße, Bundesparlament, Checkpoint Charlie.
Até o final da próxima semana, estarei escrevendo ou postando notícias de jornais alemães e vídeos do you tube, aqui no blog.
Como dizem os alemães: " ainda é tempo de derrubar os muros que ainda existem dentro de nós!"
Auf widersehen!

domingo, 18 de outubro de 2009

Profa. Graça Kater, saudades!

Caros amigos,

recebi, hoje, com muito pesar e surpresa a triste notícia do falecimento da Profa. MARIA DAS GRAÇAS KATER, aposentada pelo Depto. de Geografia da UFPE.

A notícia, tardia, me veio por meio de um e-mail, repassado pelo meu querido amigo e geógrafo Sidclay Cordeiro, enviado pelo ilustre prof. Lucivânio Jatobá que, até mesmo em momentos como estes, consegue tocar a todos com suas palavras mágicas. O ilustre Lucivânio a descreveu como "uma mãe , que os alunos veneravam !” De fato, a profa Graça sempre foi vista por todos nós desse modo, uma MÃE.

Guardarei, na memória e no coração, sempre uma imagem alegre, cordial, gentil e claro, suas aulas de Geografia Regional, com a propriedade de quem, como poucos, conhecia e transmitia tão bem a realidade do Nordeste brasileiro. Em especial, me lembrarei sempre da profa Graça que viu (previu!) e celebrou o surgimento do meu namoro com uma então colega de curso e, hoje, minha esposa. Digamos que ela tenha sido uma espécie de CUPIDO, e por isso, será uma página importante em nossas vidas, pelas palavras de carinho e incentivo que nos dirigiu quando do anuncio do nosso casamento!

Não é exagero dizer que nós, profissionais e estudantes de Geografia tenhamos ficado órfãos com a “partida” da profa. Graça Kater, que agora está desvendando os segredos e mistérios da GEOGRAFIA CELESTIAL, com a generosidade e alegria que nos encorajava.

Obrigado, profa. Graça, por tudo. Saudades!

Nesta segunda-feira (19), ocorrerá a Missa de Sétimo Dia pelo, na Matriz da Sagrada Família, no bairro de Casa Forte, às 19h.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Metade do mundo vive sob regime democráticos.

A revista inglesa The Economist realizou, em 2008, sua segunda pesquisa sobre a democracia no mundo (mapa abaixo), que avaliou as liberdades civis, o funcionamento do governo, o processo e a pluralidade eleitoral, e a participação e a cultura política da população em 167 países.




Por esses critérios, a revista classificou o regime político das nações em democracias plenas, democracias imperfeitas, regimes híbridos e regimes autoritários. A maioria das democracias plenas está em países desenvolvidos, e há apenas um latino-americano nessa lista, o Uruguai.

Em relação à pesquisa feita em 2006 pela revista, 68 países perderam pontos, enquanto 56 nações melhoraram suas notas. Regimes políticos de oito países subiram de categoria, enquanto quatro baixaram de democracia imperfeita para regime híbrido.

Na América Latina a pontuação subiu de 6,37 para 6,43, enquanto a média geral subiu de 5,52 para 5,55.
fonte: Jornal do Senado, 14 de setembro/2009.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

UE cobra mais reformas dos candidatos de adesão ao bloco

A União Europeia cobrou da Croácia, da Turquia e da Macedônia que acelerem o ritmo de suas reformas para que possam aderir ao bloco. Já para os demais países dos Bálcãs as perspectivas são menos favoráveis.
A Comissão Europeia destacou nesta quarta-feira (14/10) em Bruxelas a realização de "progressos" no processo de ampliação do bloco a fim de incluir os países dos Bálcãs Ocidentais e a Turquia, apesar das dificuldades provocadas pela crise econômica mundial. Também "o pedido de adesão da Islândia confere uma nova dimensão" à agenda da expansão do bloco, disse o comissário europeu de Ampliação, Olli Rehn.

O relatório divulgado anualmente trata dos principais desafios a serem enfrentados para possibilitar a ampliação da União Europeia (UE), que já abriu negociações de adesão com a Turquia e a Croácia e está em vias de iniciá-las também com a Macedônia. Como "potenciais candidatos", o bloco reconhece Albânia, Montenegro, Bósnia-Herzegóvina, Sérvia e Kosovo.
Croácia: "fase final".

Segundo o relatório, as negociações com a Croácia entraram na "fase final", apesar de uma disputa fronteiriça com a Eslovênia, e poderiam estar encerradas ainda até o final deste ano, de modo que o país poderia ingressar no bloco em fins de 2010 ou em 2011.

No entanto, ainda são necessárias várias reformas, especialmente no tocante à Justiça e aos direitos fundamentais. Um dos temas sensíveis é o livre acesso por parte do Tribunal Penal Internacional para a Ex-Iugoslávia a documentos sensíveis da época da guerra na Bósnia. Isso vem sendo cobrado com insistência pelas Nações Unidas.

Turquia: mais Estado de direito

No que diz respeito à Turquia, Rehn considerou que o país "evidenciou novos esforços em matéria de reformas políticas", mas que "a evolução das negociações de adesão depende desta dinâmica de reformas, especialmente a consolidação das liberdades fundamentais e do Estado de direito".

No entanto, o relatório sublinhou a importância do papel desempenhado recentemente pela Turquia na política internacional, de maneira especial no conflito no Oriente Médio e no Cáucaso. Também a normalização das relações com a Armênia recebeu destaque positivo.
Macedônia: sinal verde para negociar adesão

A Comissão decidiu recomendar a abertura de negociações também com a antiga república iugoslava da Macedônia, que "realizou progressos importantes e cumpriu as principais prioridades da parceria de adesão", segundo o relatório. O país havia apresentado sua candidatura em dezembro de 2005.

No entanto, até que seja resolvida sua longa disputa com a Grécia acerca do nome, que Atenas não reconhece por coincidir com uma província grega, as possibilidades de adesão são pequenas, uma vez que a ampliação deve ser aprovada por todos os membros do bloco.
Menos chances no restante dos Bálcãs

O relatório considera "um importante passo à frente" a liberalização do regime de vistos para os Bálcãs Ocidentais, que passará a valer em 2010. No entanto, para muitos países balcânicos a perspectiva não é tão favorável.

"Nestes tempos difíceis de crise econômica, os pedidos de adesão da Albânia e de Montenegro sublinham o permanente poder de atração da UE e nosso papel na promoção da estabilidade, da segurança e da prosperidade", disse o comissário Rehn.

A Bósnia-Herzegóvina "necessita urgentemente acelerar as reformas fundamentais". Já a Sérvia "demonstrou seu empenho em aproximar-se da União Europeia", mas "deve adotar uma atitude mais construtiva nas questões que dizem respeito ao Kosovo".

No Kosovo, "a estabilidade tem-se mantido, mas permanece frágil" e o país "enfrenta desafios importantes, como a garantia do Estado de direito, a luta contra a corrupção e a criminalidade organizada, o fortalecimento da capacidade administrativa e a proteção dos sérvios e das outras minorias".

Num documento separado, a Comissão Europeia propõe aproximar da UE os cidadãos do Kosovo, através, por exemplo, de um diálogo sobre o regime de vistos na perspectiva de uma eventual liberalização, assim que tenham sido realizadas as reformas exigidas. (http://www.dw-world.de/, acesso em 14 de outubro de 2009.)
Atualmente, a UNIÃO EUROPEIA, com sede em Bruxelas na Bélgica, conta com a participação de 27 países membros, sendo que os últimos a ingressarem no bloco foram Polônia, República Tcheca, Eslováquia, Eslovênia, Hungria, Estônia, Letônia, Lituânia, Malta e Chipre, em 2004. Em 2007, foi a vez Romênia e Bulgária se uniram ao grupo.
Hoje, o principal problema no caminho da União Europeia é a aprovação do Tratado de Lisboa, que substitui a fracassada tentativa de criar uma Constituição europeia.

sábado, 3 de outubro de 2009

Cursos da UFPE conquistam boa avaliação do Guia do Estudante 2009

O Guia do Estudante 2009, publicado pela Editora Abril, classificou como excelentes (conceito 5) 14 cursos de graduação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Outros 25 cursos receberam conceito quatro (muito bom) e sete ficaram com o conceito três (bom). A avaliação considerou informações sobre os cursos e o parecer de especialistas da área de educação.
Foram consideradas excelentes as graduações em Ciência da Computação, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Estatística, Física, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Geografia, História, Matemática, Pedagogia, Química, Serviço Social e Turismo.
Os cursos apontados como muito bons são Administração, Arquitetura e Urbanismo, Biblioteconomia, Ciências Biomédicas, Ciências Sociais, Desenho Industrial, Direito, Enfermagem, Engenharia Biomédica, Engenharia Cartográfica, Engenharia Civil, Engenharia da Computação, Engenharia Elétrica, Engenharia de Minas, Engenharia de Produção, Farmácia, Hotelaria, Jornalismo, Letras, Nutrição, Psicologia, Publicidade e Propaganda, Rádio e TV, Secretariado Executivo e Terapia Ocupacional.
As graduações em Ciências Econômicas, Educação Física, Engenharia Mecânica, Engenharia Química, Filosofia, Geologia e Medicina foram classificadas como boas.

Irlandeses dizem "sim" a Tratado de Lisboa.

A população da Irlanda aprovou em plebiscito acordo que define uma série de reformas na União Europeia. Para entrar em vigor, tratado tem que ser ainda ratificado por Polônia e República Tcheca.
O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, reagiu com alívio ao resultado do plebiscito realizado na Irlanda, do qual estava pendente a ratificação do Tratado de Lisboa, que estabelece reformas substanciais para o bloco de 27 países.
Barroso afirmou neste sábado (03/10), em Bruxelas, estar "satisfeitíssimo" com a maioria de votos favoráveis ao Tratado no referendo realizado no dia anterior na Irlanda. Segundo ele, os irlandeses entenderam o papel que a União Europeia desempenhou na superação dos efeitos da crise econômica.

Maior transparência

Também o premiê sueco, Fredrik Reinfeldt, que ocupa a presidência rotativa do Conselho da União Europeia (UE), elogiou a aprovação do Tratado pelos irlandeses e afirmou ser este "um bom dia" para a Europa. Reinfeldt se disse "convencido de que o Tratado de Lisboa fará com que a UE seja mais democrática, efetiva e transparente".
No primeiro plebiscito, realizado na Irlanda em junho do ano passado, mais de 53% da população do país votaram contra o Tratado de Lisboa, derrubando, assim, a aprovação do mesmo, o que acabou por desencadear uma séria crise dentro do bloco. Antes dos irlandeses, também franceses e holandeses haviam rejeitado o Tratado, que, naquele ano de 2005, ainda levava o nome de Constituição Europeia.

Os atuais resultados, pelo contrário, surpreenderam: uma clara maioria entre os três mil eleitores do país votou em prol do acordo que estabelece reformas no bloco. Declan Ganley, um dos principais críticos da UE na Irlanda e mentor da campanha contra o Tratado, afirmou, logo depois da votação, que haveria uma "vitória esmagadora" dos defensores do acordo. O ministro irlandês do Exterior, Micheal Martin, afirmou que o resultado do referendo havia sido "bom para a Irlanda".

Pressão sobre Polônia e República Tcheca

O "sim" irlandês aumentou a pressão sobre a Polônia e a República Tcheca, os dois últimos países da UE que ainda terão que ratificar o Tratado. Apesar das comemorações, vários políticos da UE alertam para que se tenha cautela em relação ao assunto.
O Tratado de Lisboa prevê a democratização e flexibilização dos países do bloco, mas só poderá entrar em vigor depois de ratificado pelos 27 membros.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Prova vaza e Enem é cancelado!

O Ministério da Educação cancelou na madrugada desta quinta-feira a realização do Exame Nacional do Ensino Médio, que seria aplicado neste fnial de semana para mais de 4 milhões de pessoas em todo o País. O cancelamento teria ocorrido em virtude do vazamento da prova, segundo afirma o jornal Estado de S. Paulo, desta quinta-feira.

A decisão teria sido tomada pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, após tomar conhecimento do vazamento. De acordo com o Estado de S. Paulo, por telefone, um homem procurou o jornal na tarde dessa quarta-feira e disse que tinha duas das provas que seriam aplicadas no sábado. Em troca da informação, teria cobrado R$ 500 mil.
O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Reynaldo Fernandes, disse ao jornal que "há fortes indícios de que houve vazamento, 99% de chance".

Haddad disse ao jornal que não teve acesso ao material da prova e confirmou o vazamento após consultar técnicos do Inep, com base em informações que teriam sido passadas pelo jornal ao ministro.
01 de outubro de 2009 • 05h34 • atualizado às 06h31

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Enem 2010, tá chegando a hora!

Ainda dá tempo para uma última revisão. Mas, lembre-se FERA: procure descansar, ouça uma boa música (Clássica ajuda muito, que tal VIVALDI?), vá ao cinema e assista a uma boa comédia, converse com os amigos (nada de vestibular!), namore bastante e claro, DURMA BEM!
Boa Sorte, FERA, estou na torcendo por você!
A VIDA É MARAVILHOSA!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Prof Gustavo Borges no Jornal do Commercio.

PessoALL,

o Jornal do Commercio, edição do dia 09 de setembro de 2009, em seu caderno de INFORMÁTICA, traz uma matéria com o professor Gustavo Borges, falando sobre o uso de imagens de satélites e mapas digitais, publicados na WEB.

segue abaixo uma foto da matéria.

Aproveitem e revejam a matéria publicada no Jornal Folha de Pernambuco com dicas para o concurso da PM, no link abaixo

Grande abraço a todos.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

QUATRO PERGUNTAS SOBRE O PRÉ-SAL

1 - O QUE É O PRÉ-SAL

O termo pré-sal refere-se a um conjunto de rochas localizadas nas porções marinhas de grande parte do litoral brasileiro, com potencial para a geração e acúmulo de petróleo. Convencionou-se chamar de pré-sal porque forma um intervalo de rochas que se estende por baixo de uma extensa camada de sal, que em certas áreas da costa atinge espessuras de até 2.000m. O termo pré é utilizado porque, ao longo do tempo, essas rochas foram sendo depositadas antes da camada de sal. A profundidade total dessas rochas, que é a distância entre a superfície do mar e os reservatórios de petróleo abaixo da camada de sal, pode chegar a mais de 7 mil metros.



localização do pré-sal, litoral brasileiro.

PRÉ-SAL, bloco diagrama.

As maiores descobertas de petróleo, no Brasil, foram feitas recentemente pela Petrobras na camada pré-sal localizada entre os estados de Santa Catarina e Espírito Santo, onde se encontrou grandes volumes de óleo leve. Na Bacia de Santos, por exemplo, o óleo já identificado no pré-sal tem uma densidade de 28,5º API, baixa acidez e baixo teor de enxofre. São características de um petróleo de alta qualidade e maior valor de mercado.

2- Qual o volume estimado de óleo encontrado nas acumulações do pré-sal descobertas até agora?

Os primeiros resultados apontam para volumes muito expressivos. Para se ter uma ideia, só a acumulação de Tupi, na Bacia de Santos, tem volumes recuperáveis estimados entre 5 e 8 bilhões de barris de óleo equivalente (óleo mais gás).

3- Quais serão as contribuições dessas grandes descobertas para o desenvolvimento nacional?

Diante do grande crescimento previsto das atividades da companhia para os próximos anos, tanto no pré-sal quanto nas demais áreas onde ela já opera, a Petrobras aumentou substancialmente os recursos programados em seu Plano de Negócios. São investimentos robustos, que garantirão a execução de uma das mais consistentes carteiras de projetos da indústria do petróleo no mundo. Serão novas plataformas de produção, mais de uma centena de embarcações de apoio, além da maior frota de sondas de perfuração a entrar em atividade nos próximos anos.

A construção das plataformas P-55 e P-57, entre outros projetos já encomendados à indústria naval, garantirá a ocupação dos estaleiros nacionais e de boa parte da cadeia de bens e serviços offshore do país. Só o Plano de Renovação de Barcos de Apoio, lançado em maio de 2008, prevê a construção de 146 novas embarcações, com a exigência de 70% a 80% de conteúdo nacional, a um custo total orçado em US$ 5 bilhões. A construção de cada embarcação vai gerar cerca de 500 novos empregos diretos e um total de 3.800 vagas para tripulantes para operar a nova frota.

4 - A Petrobras está preparada, tecnologicamente, para desenvolver a área do pré-sal?

Sim. Ela está direcionando grande parte de seus esforços para a pesquisa e o desenvolvimento tecnológico que garantirão, nos próximos anos, a produção dessa nova fronteira exploratória. Um exemplo é o Programa Tecnológico para o Desenvolvimento da Produção dos Reservatórios Pré-sal (Prosal), a exemplo dos bem-sucedidos programas desenvolvidos pelo seu Centro de Pesquisas (Cenpes), como o Procap, que viabilizou a produção em águas profundas. Além de desenvolver tecnologia própria, a empresa trabalha em sintonia com uma rede de universidades que contribuem para a formação de um sólido portfólio tecnológico nacional. Em dezembro o Cenpes já havia concluído a modelagem integrada em 3D das Bacias de Santos, Espírito Santo e Campos, que será fundamental na exploração das novas descobertas.

sábado, 22 de agosto de 2009

Dicas para o "novo" ENEM

PessoALL,

aí vai uma dica para o "novo" Enem.

Em 2009 o mundo celebra os vinte anos da queda do Muro de Berlim ou "muro da vergonha", como ficou conhecido. Portanto, seria muito bom que vocês, feras, ficassem atentos ao tema.

para ajudá-los segue, abaixo,o link de um especial produzido pela Deutsch Weller sobre esse momento histórico.

http://www.dw-world.de/dw/1,2692,12345,00.html

abraço a todos.

domingo, 16 de agosto de 2009

32 ANOS SEM O REI!

Só para matar um pouco das saudades que jamais irão se apagar um presente para os súditos de sua majestade ELVIS AARON PRESLEY.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Rússia diz que vai reforçar presença na Abecásia

O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, afirmou que o país vai gastar quase US$ 500 milhões em 2010 para reforçar as suas bases militares na Abecásia, região separatista da Geórgia considerada independente pelos russos.
localização da Abecásia.

O anúncio foi feito na chegada de Putin à Abecásia para uma reunião com o governo local. O premiê afirmou que seu país está comprometido com a defesa e com a ajuda financeira do território na região noroeste da Geórgia.



bandeira da Abecásia.

A Abecásia e a Ossétia do Sul foram oficialmente reconhecidas pela Rússia como Estados independentes depois da rápida guerra entre Rússia e Geórgia há dois anos.

O conflito teve início no dia 7 de agosto de 2008, quando a Geórgia tentou retomar o controle das duas regiões. A Rússia reagiu rapidamente com uma invasão militar na Geórgia, que durou semanas.

Além da Rússia, apenas a Nicarágua reconheceu a independência da região depois do conflito. As duas áreas ainda são consideradas por muitos países como partes da Geórgia.

O reforço da presença militar russa na Abecásia e na Ossétia do Sul é considerado pela Geórgia uma violação clara de sua soberania.

O país disse que a visita de Putin demonstrou a tendência do primeiro-ministro russo de "desafiar as normas e principios de leis internacionais reconhecidos".

Sua presença na região é uma "tentativa de escalar as tensões no Cáucaso", afirma um comunicado do governo georgiano.

A Grã-Bretanha também criticou o anúncio de Putin, dizendo que ele vai em direção oposta aos esforços internacionais para amenizar as tensões entre as duas nações.

sábado, 1 de agosto de 2009

A profissão de Geógrafo

caros amigos, para os que ainda acreditam que o Géografo tem atuação restrita ao magistério aí vai o que regulamenta a Lei 6.664/79.

O Presidente da República.
Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1 . Geógrafo é a designação profissional dos habilitados conforme os dispositivos da presente Lei.

Art. 2 . O exercício da profissão de Geógrafo somente será permitido.
I - aos Geógrafos e aos bacharéis em Geografia e em Geografia e História, pelas Faculdades de Filosofia, Ciências e letras e pelos Institutos de Geociências das Universidades oficiais ou oficialmente reconhecidas;
II - (Vetado);
III - aos portadores de diploma de Geógrafo, expedido por estabelecimentos estrangeiros similares de ensino superior, após revalidação no Brasil.

Art.3o . É da competência do geógrafo o exercício das seguintes atividades e funções a cargo da União, dos Estados, dos Territórios e dos Municípios, das entidades autárquicas ou de economia mista e particulares:
I - reconhecimentos, levantamentos, estudos e pesquisas de caráter físico-geográfico, biogeográfico, antropogeográfico e geoeconômico e as realizadas nos campos gerais e específicos da Geografia, que se fizerem necessárias:
a) na delimitação e caracterização de regiões e sub-regiões geográficas naturais e zonas geoeconômicas, para fins de planejamento e organização físico-espacial;
b) no equacionamento e solução, em escala nacional, regional ou local, de problemas atinentes aos recursos naturais do país;
c) na interpretação das condições hidrológicas das bacias fluviais;
d) no zoneamento geo-humano , com vistas aos planejamentos geral e regional;
e) nas pesquisas de mercado e intercâmbio comercial em escala regional e inter-regional;
f) caracterização ecológica e etológica da paisagem geográfica e problemas conexos;
g) na política de povoamento, migração interna, imigração e colonização de regiões novas ou de revalorização de regiões de velho povoamento;
h) no estudo físico-cultural dos setores geoeconômicos destinados ao planejamento da produção;
i) na estruturação ou reestruturação dos sistemas de circulação;
j) no estudo e planejamento das bases físicas e geoeconômicas dos núcleos urbanos e rurais;
l) no aproveitamento, desenvolvimento preservação dos recursos naturais;
m) no levantamento e mapeamento destinados à solução dos problemas regionais;
n) na divisão administrativa da União, dos Estados, dos Territórios e dos Municípios.
II - a organização de congressos, comissões, seminários, simpósios e outros tipos de reuniões destinadas ao estudo e divulgação da Geografia.

Art. 4o . As atividades profissionais do Geógrafo, sejam as de investigação puramente científica, sejam as destinadas ao planejamento e implantação da política social, econômica e administrativa de órgãos públicos ou às atividades de natureza privada, se exercem através de:
I - órgãos e serviços permanentes de pesquisas e estudos, integrantes de entidades científicas, culturais, econômicas ou administrativas;
II - prestação de serviços ajustados para a realização de determinado estudo ou pesquisa, de interesse de instituições públicas ou particulares, inclusive perícia e arbitragens;
III - prestações de serviços de caráter permanente, sob a forma de consultoria ou assessoria, junto a organizações públicas ou privadas.

Art. 5o. A fiscalização do exercício da profissão de Geógrafo será exercida pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia.

Art. 6o . O Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia somente concederá registro profissional mediante apresentação de diploma registrado no órgão próprio do Ministério da Educação e Cultura.

Art. 7o . A todo profissional registrado de acordo coma presente Lei será entregue uma carteira de identidade profissional, numerada, registrada e visada no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, na forma da lei.

Art. 8o . É vedado o exercício da atividade de Geógrafo aos que 360 (trezentos e sessenta ) dias após a regulamentação desta lei, não portarem documento de habilitação expedido na forma prevista na presente Lei.

Art. 9o . A apresentação da carteira profissional de Geógrafo será obrigatoriamente exigida para inscrição em concurso, assinatura em termos de posse ou de quaisquer documentos, sempre que se tratar de prestação de serviço ou desempenho de função atribuída ao Geógrafo, nos termos previstos nesta Lei.

Art. 10. O Poder Executivo regulamentará esta Lei no prazo de 90 (noventa) dias.

Art. 11. Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.

Art. 12. Revogam-se as disposições em contrário.

Perda de comanda na balada: consumidor só deve pagar pelo que consumiu

Quem costuma frequentar casas noturnas já deve ter recebido uma comanda prevendo multa para o caso de perda ou extravio. Entretanto, segundo o diretor-presidente do Ibedec (Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo), Geraldo Tardin, a prática é ilegal e o consumidor só deve pagar pelo que de fato consumiu.

"Essa prática é adotada por muitos estabelecimentos. É comum o consumidor pagar pela prática abusiva da empresa sem ter a informação de que está sendo lesado!", diz Tardin.

Lei
De acordo com o presidente do Instituto, não há nenhuma lei que legitime o estabelecimento a cobrar multa. Além disso, acrescenta, a responsabilidade de manter o controle do que foi consumido é do fornecedor e não do cliente.

"O fornecedor não pode repassar ao consumidor o controle. Essa atitude caracteriza prática abusiva. O fornecedor deve ter o controle do consumo por cartão magnético ou venda de fichas", alerta.

No caso da perda da comanda, o consumidor que for impedido de deixar o estabelecimento, caso não pague a multa, poderá ligar para a polícia e pedir seu comparecimento ao local. Além disso, ele deve registrar um boletim de ocorrência na delegacia.

Na hipótese de o cliente pagar a conta estipulada pela casa noturna, este poderá ingressar com uma ação pedindo em dobro o valor pago e mais indenização por danos morais.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

A Medida Provisória 458 e o fim da Amazônia.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou, no dia (26/junho), a Medida Provisória 458, que prevê a regularização de terras na Amazônia Legal.
O que é a Medida Provisória 458?

A Medida Provisória 458 trata da regularização de terras na Amazônia Legal, abrindo a possibilidade de que os posseiros formalizem juridicamente seu direito a essas propriedades.
As propriedades de terra com até um quilômetro quadrado (100 hectares), que representam 55% do total dos lotes, serão doadas aos posseiros. Aqueles que possuírem até 4 quilômetros quadrados (400 hectares) terão de pagar um valor simbólico, e os proprietários com até 15 quilômetros quadrados (1,5 mil hectares) pagam preço de mercado pelas terras.
Os posseiros interessados em adquirir as terras precisam ainda atender a algumas condições, entre elas, ter na propriedade sua principal fonte econômica e ter obtido sua posse de forma pacífica até dezembro de 2004.

Após a transferência, o proprietário terá ainda de cumprir certas obrigações, como por exemplo, recuperar áreas que tenham sido degradadas. Pelo Código Ambiental, pelo menos 80% de cada propriedade na Amazônia deve ser preservada.
A MP 458 trata da regularização fundiária, mas um dos principais objetivos do governo com as novas regras é permitir maior controle sobre essas propriedades e, em consequência, sobre o desmatamento.

O governo espera que, com a regularização da posse, os órgãos responsáveis possam melhor identificar eventuais crimes ambientais. Dentre outras obrigações, os proprietários terão de cumprir a legislação ambiental, preservando 80% de suas terras.
Adeus, Amazônia!

terça-feira, 28 de julho de 2009

Islândia planeja ingresso na UE e adoção do euro.

Islândia tem vantagens, mas também enfrenta obstáculos para filiação à União Europeia .

Bandeira da Islândia


País nórdico deseja ingressar no bloco após anos de descaso. Críticos dizem que UE não pode ser "salvadora de nações em crise". Em alguns pontos as chances da Islândia são melhores do que as de candidatos de longa data.

Vista parcial de Reykjavik, capital da Islândia.

Nesta segunda-feira (27/07) a Islândia candidatou-se oficialmente para o ingresso na União Europeia (UE). O processo de admissão é bastante complexo, envolvendo diversas exigências e fases de avaliação.

O país nórdico já preenche parte dos pré-requisitos. Segundo a presidência rotativa da UE, atualmente ocupada pela Suécia, as chances são boas. "Não há uma pista rápida para a Islândia", comentou o ministro sueco das Relações Exteriores, Carl Bildt. Mas, segundo ele, o trecho que o país precisa percorrer é mais curto do que o de outros candidatos.

Regulamentação transitória

Seu colega de pasta islandês, Össur Skarpedinsson, assegura que 70% das leis nacionais já estão conformes às diretrizes da UE. Vantajoso é também o fato de o país já pertencer ao Espaço Econômico Europeu e ao Espaço Schengen, que elimina os controles de fronteira.

A política nacional de pesca poderá exigir uma regulamentação especial de transição, por não estar de acordo com as diretivas do bloco europeu. O país pratica, por exemplo, a caça comercial à baleia, proibida na União Europeia.

A Islândia dispõe de uma zona exclusiva de pesca com 360 quilômetros de extensão. Caso se filie à UE, o país precisaria entregar à comunidade o controle sobre suas águas e cotas de pesca, o que esbarra na resistência do lobby pesqueiro.

Mudança súbita

Também do lado europeu há críticas quanto à intenção da Islândia. O chefe da bancada da União Social Cristã (CSU) no Parlamento Europeu, Markus Ferber, é da opinião que "a UE não pode fazer o papel de salvador na crise econômica islandesa".

Com isso ele se refere à súbita mudança de opinião no país, que antes da crise nunca se interessara por uma filiação ao bloco europeu. Foi depois de o valor da moeda nacional, a coroa islandesa, cair dramaticamente que a Islândia passou a se empenhar pela integração na UE.
Há ainda países-membros que são contra dar preferência ao candidato nórdico perante outras nações que há anos batem à porta do bloco. A Áustria enfatiza o exemplo da Croácia, também candidata ao ingresso na UE. Atualmente os demais candidatos são a Macedônia e a Turquia.

DADOS GERAIS DO PAÍS:
República da Islândia
Sua capital e maior cidade é Reykjavík
população 311.396 habitantes (2007)
PIB US$12,172 bilhões
saiba mais em:

Dica de filmes para o ENEM

http://profgustavoborges.blogspot.com/2008/07/dica-de-filmes-para-as-frias.html

Balbina, a hidrelétrica do caos

Dificilmente haverá no planeta um monumento à estupidez como a Usina Hidrelétrica de Balbina. Idealizada na ditadura militar e inaugurada em 1989, ela custou, na época, US$ 1 bilhão. Inundou 2,6 mil quilômetros quadrados de riquíssimas florestas nativas, criando um dos maiores lagos artificiais do mundo. Os milhões de árvores que tiveram suas raízes submersas não foram retirados e transformados em madeira produtiva – estão lá apodrecendo. As águas do lago imenso produzem hoje apenas de 120 MW a 130 MW de energia; é a unidade de geração mais ineficiente entre as 113 hidrelétricas do País. E, para culminar a série de desastres, a vegetação inundada se tornou uma fonte gigantesca de emissão de gases de efeito estufa: emite 3,3 milhões de toneladas de carbono equivalente por ano, metade do que jogam na atmosfera os carros que circulam em São Paulo.




UHE DE BALBINA

Os erros começaram pela escolha do local – uma área extremamente plana, 180 quilômetros ao norte de Manaus. Na planície, as águas se espalharam, rasas, por uma área imensa; há grandes trechos que podem ser percorridos com água na cintura, às vezes com a profundidade suficiente apenas para molhar os pés. A disparidade entre a área inundada e a capacidade de produção de energia é imensa. Para ficar na própria região amazônica, a usina de Tucuruí, no Pará, também alagou uma grande área; lá, o lago ocupa 2,4 mil km², mas a água represada do Rio Tocantins tem força para tocar uma usina de 4.245 MW, 17 vezes superior a Balbina.



A comparação com Itaipu torna Balbina ainda mais absurda. Itaipu tem um lago de 1,3 mil km², metade do da usina do Amazonas, e sua potência instalada é de 14 mil MW. A potência instalada de Balbina, já na época da inauguração, era de ridículos 250 MW. Mas a situação ali piora a cada ano: 18 anos depois, a capacidade instalada já não atinge nem esse limite baixo. Os equipamentos obsoletos, a baixa pressão da água e o acúmulo de sedimentos produzidos pelo apodrecimento das árvores largadas na área inundada continuam comprometendo o potencial de geração, e a capacidade instalada baixou para 235 MW.

No final dos anos 80, a formação do lago, com as águas mansas do Rio Uatumã, reduziu drasticamente o fluxo rio abaixo. Quando se alcançou a cota para funcionamento das turbinas, a Eletronorte liberou a água já saturada de material orgânico apodrecido. O caldo que desceu foi venenoso. “Meu amigo, foi tanto peixe morto! A Manaus Energia recolhia rede e mais rede de peixe boiando. Fizeram um buraco enorme para enterrar tudo. Daí, o peixe sumiu”, lembra o pescador Marcos Claudio da Silva (leia sobre a mortandade de peixes na página seguinte).

Hoje, quase 20 anos depois do fechamento da barragem, a contribuição de gases de efeito estufa em Balbina é dez vezes superior à emissão de uma termelétrica movida a carvão de potência igual à da hidrelétrica. “Para cada megawatt/hora (MW/h) gerado nessa hidrelétrica são liberadas 3,3 toneladas de carbono na atmosfera”, explica Alexandre Kemenes, pesquisador bolsista de um programa chamado Experimento de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia (LBA), uma iniciativa internacional liderada pelo Brasil e abrigada no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). “Numa térmica a carvão, a relação entre emissões de gases e a geração de 1 MW/h é de 0,33 tonelada.”

Além de medir as emissões, o trabalho de Kemenes, que durou cinco anos, indicou a principal fonte de gases de efeito estufa: o reservatório. Apenas 8% da área do lago, segundo cálculos feitos no estudo, foi desflorestada. É do lago que saem 84% dos gases. As emissões da usina são tão elevadas que superam todo o crédito de carbono obtido pela estatal Eletrobrás, que controla Balbina por intermédio da Eletronorte.

Até hoje, o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa) gerou créditos de 2,7 milhões de toneladas de carbono, volume que irá a leilão na BM&F. Os técnicos dizem que seria possível captar os gases (metano e gás carbônico) para produzir energia, como ocorre em aterros sanitários. “É viável, mas exige investimento”, diz Kemenes. “O problema é que não há investimento em Balbina.”

No grande salão da usina, onde ficam as cinco turbinas, uma frase em letras graúdas diz: “Balbina, respeito à natureza.”

domingo, 17 de maio de 2009

Que venham muitas crises

O mundo se modifica com as crises. Crise não é algo necessariamente ruim, como muita gente acha. O mundo estava em crise quando ocorreu a revolução francesa, o mundo estava em crise quando houve a reforma protestante, o mundo estava em crise quando houve a semana de arte moderna. Sei que existem diferentes conceitos para crise, e as que estamos passando agora é de caráter econômico, e não social ou político como expostas acima. Até as crises de caráter econômico trazem benefícios a posteriori. Porque se há crise, então algo não vai bem e depois disso há uma mudança na conjuntura que havia. Então encontramos um sinônimo para crise, mudança, revolução.


Sim após esta crise o mundo não será mais o mesmo: alguns brindam o fim do neoliberalismo; outros o fim dos EUA. É cedo para dar diagnósticos precisos sobre que efeitos serão visíveis diante este cenário, mas certamente o mundo não será como agora. E isto é bom?

Momentos de crise aguçam o lado criador do homem. Parece que o homem precisa de um impulso para produzir, e as crises em geral são acompanhadas por uma explosão de novas idéias, cientificamente falando e culturalmente falando. Alguns dizem que o momento de letargia vivido pelo mundo nas últimas décadas favoreceu o seu empobrecimento cultural e que a decorrência disso é uma apatia nas produções. Como se nada de realmente bom ou inovador houvesse surgido.

Se olharmos para a musica tem muita coisa boa surgindo, mas também há muita porcaria que merece o lixo do esquecimento. Creio que há mais porcaria que algo bom, inspirador e inovador.

Teríamos uma proporção de 8 para 2 se assim formos quantificar. Na literatura, também vemos um fenômeno parecido, poucos dos novos escritores encantam, são bons de verdade. A grande maioria vende milhões de livro com um livro e após isso desaparece como se a fonte tivesse secado. E uma crise no momento de agora, pelo menos para mim, parece propiciar uma quebra de paradigmas e valores que certamente irão se refletir na arte em geral. Não só na arte como na política, economia, e na sociedade como um todo.

Uma balançada assim para fazer o grande urso gordo e preguiçoso da humanidade acordar para produzir e ser autocritico de sua posição neste cenário.

Um exemplo que trago é a faculdade que estudo. Ela tem um passado glorioso que enche de imaginação quem estuda lá. Mas seu presente é desolador. Não se vê produção de muita coisa, não se vê muitas discussões. O máximo que se vê são indivíduos traçando seus projetos pessoais sem preocupação ou consciência de que existe um mundo que os rodeiam e que é preciso fazer algo de proveitoso nesta passagem pela vida além de encher a cara, ganhar dinheiro e fazer muito sexo.

Não sou saudosista com o passado. Sei que nada é 100% perfeito em conjuntura nenhuma da históri, mas seria ingenuidade minha querer comparar a produção artística e cultural da humanidade atual com de algumas décadas passadas. Seria no mínimo querer quantificar uma projeção que faço na teoria.

Fica ai as indagações, reflexões e esperanças para que o futuro seja melhor do que agora. O que nós podemos fazer para isso? Eu não sei muito bem, já tentei fazer algumas coisas, mas ainda não obtive resultados plausíveis. A questão é que agora me encontro sentado, na frente da maior tecnologia do século 20, escrevendo num blog para que no máximo 2 pessoas leiam e após isso vou espionar a vida alheia no orkut.

Muito revolucionário isso não?

É o grande problema é a inércia e comodidade, está tudo muito fácil. Uma crise vai abalar o sistema e nos fazer movimentar de verdade. Eu clamo por isso, antes que ganhe peso e fique com preguiça de sair da frente do COMPUTADOR.

por MARCELLO BORBA ARAQUAN BORGES

domingo, 19 de abril de 2009

A SERRA DO IBIAPABA - CE

A Serra do Ibiapaba, também conhecida como CHAPADA do IBIAPADA é uma das várias unidades de relevo do estado do Ceará.

"Serra" do Ibiapaba - CE.

Na realiadade, a Serra do Ibiapada é um relevo do tipo CUESTA; forma dissimétrica constituída de REVERSO, FRENTE e CORNIJA (Vide esquema abaixo). Suas altitudes variam de 650 a 900 metros, registrando-se, entretanto, pontos acima de 900 metros.

Situa-se ao longo do oeste do Ceará, nos limites do estado do Piauí, apresentando direção geral Norte-Sul. A chamada "frente" da cuesta assemelha-se a um extenso paredão reproduzindo uma escarpa muito ígreme.

Esta unidade geomofológica é composta por rochas sedimentares da Formação Serra Grande (Siluriano-Devoniano), tendo sua camada superficia (cornija) constituída de rochas tipo arenito. A partir dessas rochas formam-se solos arenosos profundos (Neossolos Quartzarênicos), e solos areno-argiolosos muito intemeperizados (Latossolos Vermelho-amarelos).

Fonte:

- Atlas Escolar do Ceará
- Dicionário Geológico e Geomorfológico - Antonio Teixeira Guerra
- Instituto de Geologia da UNB.

Forças da Natureza: entenda um pouco mais sobre os agentes endógenos da Terra.

Na semana passada o FANTÁSTICO, da rede Globo de TV, lançou uma nova série produzida pela BBC de Londres, que vai ao ar nos próximos domingos mostrando como as forças da natureza criam e modificam estrutura interna e externa da Terra, bem como seus impactos para os seres humanos.

No primeiro episódio da série o programa aborda as PLACAS TECTÔNICAS e a ocorrência de VULCANISMO.

A partir desta semana iremos postar os vídeos para que vocês possam acompanhar a série na íntegra. Aproveitem! Assistam e postem seus comentários e dúvidas.

domingo, 5 de abril de 2009

Chaplin: "O Ditador."



É preciso aprender com estas sábias palavras para se construir um Brasil melhor. Precisamos pensar no COLETIVO e menos no EU!

Reflitam!

domingo, 8 de março de 2009

Terror na Irlanda do Norte.

Hoje cedo um tiroteio no quartel de Massereene, no condado de Antrim, ao norte de Belfast, deixou ainda quatro pessoas com ferimentos graves, uma delas em estado crítico.

Um jornal da capital da Irlanda, Dublin, recebeu neste domingo uma ligação supostamente do grupo Real IRA assumindo a autoria do ataque contra uma base militar britânica na Irlanda do Norte.

O atentado ocorreu um dia depois do anúncio da polícia da Irlanda do Norte de que solicitou a intervenção do serviços secreto (o MI5) e das Forças Armadas britânicas para enfrentar a crescente ameaça de facções dissidentes do IRA.

Os dissidentes se opõem ao governo formado na Irlanda do Norte em 2007, que uniu os antigos rivais: os nacionalistas - católicos que defendem a incorporação da Irlanda do Norte à vizinha República da Irlanda - e os protestantes unionistas (que defendem a União, ou o Reino Unido) e acreditam que a área deveria continuar integrando a Grã-Bretanha.

Para quem tiver interesse em saber mais sobre os conflitos na Irlanda do Norte, uma boa dica é assistir aos filmes: "DOMINGO SANGRENTO; CONTAGEM REGRESSIVA ou assistir ao clipe (abaixo) da música SUNDAY, BLOODY SUNDAY, do U2.



Deutsch, Warun nicht? Carro mesmo!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

A maré de esquerda na América latina ( O medo da direita)

Por Marcello Borba.

A imprensa fala com arrepios da maré de esquerdismo que assola a América latina: Chavez é um monstro, Evo um futuro ditador. Quando se referem a tais governantes só retratam o aspecto negativo de suas medidas, ou, exageram a noticia para criar alarde.
O fato é que o continente foi assolado, principalmente depois da metade do século XX por ditaduras direitistas sanguinárias patrocinadas pelos EUA, no auge da guerra fria; ditaduras que coibiram a expressão popular e denegaram a maior parte da população-humilde- à mercê dos fatos políticos e na sarjeta dos direitos sociais.
Ocorre que, nestes países uma esperança veio surgindo, a esquerda proclamou mudanças, propôs melhorias e se caso chegasse ao poder diminuiria a enorme desigualdade social existente. Foi assim em todos estes países: Brasil, Bolívia, Chile, Venezuela, Paraguai, Peru, Equador.


A imprensa burguesa tem medo, tem medo que esta maré não acabe, tem medo mais ainda de que a esquerda cumpra o que prometeu, e caso isso ocorra é a pior derrota que o direitismo poderia levar.

Vamos analisar um caso: a Bolívia.

A Bolívia é o país mais pobre da América Latina, com a maior desigualdade social do continente e se formos somar todos os golpes militares que sofreu desde a sua independência há quase 200 anos, teremos quase 97 anos de ditaduras. Isso mesmo, 97 anos. Ou seja, o país mais pobre e mais desigual é o fruto extremo do conservadorismo excludente. A população encontrou esperança de mudança naquele rapaz, com cara de índio simpático: Evo Moralles, ele é para a população humilde do país a última esperança que resta.

No início do mês recebo uma notícia de arrepiar o cabelo: Evo acaba com o analfabetismo na Bolívia. Antes que os direitistas de plantão conclamem: (ah isto é ilusório, quantos analfabetos funcionais não existem ainda neste país?), vou ponderar que este foi o primeiro passo, milhões de pessoas que não sabiam nem assinar um nome, nem ler o mais simples bilhete agora podem desfrutar deste prazer. A alfabetização continua, pois esse foi o primeiro passo de uma grande mudança no país. Podem se sentar conservadores.

A Bolívia não conseguiu isso sozinha, ela contou com a ajuda da Venezuela e de Cuba, sim Cuba. Cuba foi um exemplo quando se tornou o primeiro país da América latina a abolir o analfabetismo, e o método que deu certo em Cuba foi transferido para a Bolívia com os ajustes necessários.

E este é o maior medo que a direita tem, quando os governantes de esquerda se unem para se ajudarem mutuamente, quando eles trocam favores para o bem comum.

Mas a imprensa publicou isso? Os jornais de grande circulação falaram sobre isso? Falaram da maneira mais breve possível, como se fosse uma doença sem atenção. Agora quando é para dizer que Chavez comprou aviões, ou para mostrar a rebelião dos direitistas que querem o fim do governo Evo eles fazem uma cobertura completa. É companheiros, eles têm medo da mudança de verdade, alertam sobre fatos infimios e escondem fatos grandiosos.

E isso é com todos os países, o Brasil, por exemplo: está com um governo de esquerda no poder, um governo que está focando sua atenção na população comum( claro que o empresariado está também sendo contemplado, O pai dos pobres e mãe dos ricos.) e por isso nossas notícias também são vinculadas no mesmo esquema de manipulação.

A Colômbia, por exemplo, ela é capacho do governo norte americano, suas atitudes são retratadas como um exemplo a ser seguido. Pode reparar que seu governo é quase sempre elogiado como: o governo que está combatendo as FARC, o governo que está diminuindo a violência em Bogotá, e etc. isso é só a ponta do iceberg, não posso negar que tudo isso é louvável, é sim. Porém não é só isso, existe um investimento americano pesado, que cobra muito caro, existe uma truculência policial muito forte, mas nada disso é retratado. É apenas mostrado turistas desfilando em paz e contentes com as “mudanças”, mas não há mudança. O governo continua excludente, sem tentar mudar a condição social de milhares de pessoas, sem prestar a devida atenção a quem realmente precisa.

A Colômbia é, na verdade, um dos poucos países direitistas presentes no grande mar esquerdo, por isso suas noticias sempre são elogiosas.

O que venho aqui conclamar com este texto não é um elogio à esquerda, ou a ditadores, nem salvadores da pátria, é apenas uma análise sincera dos fatos, o que ocorre é isso.
A esquerda está mudando cada um dos países no qual estão no poder, mas nada disso é retratado, quem quer mudança social? Quem quer o povo pensando?
Todo o grande entrave que possuímos hoje é um reflexo da época das ditaduras, no Brasil foi a época que o Brasil aumentou vertiginosamente sua divida externa e a população humilde foi mais massacrada na desigualdade social e renda. O que nos vem afrontando agora, não é nenhuma imposição de articulação da esquerda mundial, é apenas o reflexo de que a população estava cansada de ser explorada por governos que não estavam nem aí para eles. E que a esquerda é a esperança de mudar algo, de melhora para o trabalhador oprimido e excluído.

Um outro fato curioso é que a imprensa quer que acreditemos que Obama é a nova face Americana, que será bonzinho e justo com todos. Não se iluda, não será. Ele é apenas mais uma face do imperialismo Americano, ele pode até ser menos ruim que os outros, mas não será diferente. A idéia de mudança, de melhorias para todos é apenas ilusória e alienante, Obama irá defender os interesses de seu país, e não do mundo inteiro. Ele é democrata, é, menos mal, os republicanos são realmente os que mais criaram guerras e são menos propensos ao diálogo, mas não esqueça, não há muita diferença entre democratas e republicanos, no fim todos são imperialistas.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

ALEXANDER VON HUMBOLDT - O PAI DA GEOGRAFIA MODERNA

Naturalista, explorador e reconhecido como um dos "pais" da Geografia moderna, Alexander von Humboldt (1769-1859) trouxe enorme contribuição a diferentes áreas do conhecimento, como a Geologia, a climatologia, oceanografia e biogeografia.

Descendente de família nobre de Berlim, Humboldt nasceu durante o período em que a Alemanha ainda lutava por sua unificação. Estudou Filosofia, História e Ciências Naturais nas Universidades de Göttingen e Frankfurt. Anos mais tarde, passou a se dedicar às pesquisas científicas.

Mais que um mero técnico de gabinete, Humboldt dedicou-se à investigação de campo. Assim, participou de inúmeras expedições pela Europa, Ásia e América Latina. Gastou a maior parte da fortuna que herdou nas suas viagens e na publicação de suas obras. Foi o primeiro a empregar isotermas para representar regiões de temperaturas iguais, a demonstrar a diminuição de intensidade magnética do pólo ao equador e a situar o equador magnético no Peru. Em sua época, foi um dos maiores pesquisadores das camadas da terra, do vulcanismo e das correntes marítimas, entre as quais a que ganhou seu nome.

Em sua primeira expedição, acompanhou George Forster - importante naturalista em uma jornada ao longo do vale do Reno. Daí surgiu seu primeiro estudo, chamado Observações sobre o Basalto do Reno.

Do século XVIII para o XIX, Humboldt viajou pela América Latina com o botânico francês Aimé Bonpland. Em sua expedição pelos rios Orinoco e Amazonas, na Venezuela, localizou a existência de uma comunicação entre os sistemas dessas duas importantes bacias hidrográficas da América do Sul. No Equador, escalou o Monte Chimborazo, de 6 mil metros de altitude, um recorde para a época. O naturalista esteve também no Peru, onde estudou as correntes marítimas, morou por quase um ano no México, além de uma breve passagem pelos Estados Unidos.
Monte Chimborazo - Equador

Ao retornar à Europa, foi morar em Paris, cidade na qual passou a publicar seus estudos e a fomentar a criação de sociedades científicas e geográficas. Dentre os livros que escreveu destacam-se Quadros da Natureza e Kosmos, obra de cinco volumes, lançada entre 1845 e 1862, em que Humboldt deixa clara sua visão de que a Geografia seria uma ciência de síntese, idéia que repercutiria por muitos anos entre os geógrafos.

O explorador também se preocupou com as organizações políticas e sociais das sociedades humanas. Por receber influências do Iluminismo francês e do Positivismo de August Comte, acabou recorrendo ao estabelecimento de leis gerais que explicassem suas observações, fato que posteriormente seria muito criticado.

Como resultado de suas investigações, e Humboldt contribuiu para um enorme avanço das ciências naturais, ao descrever plantas, animais e acidentes geográficos até então desconhecidos dos europeus. Em razão dessas contribuições, atualmente, dezenas de espécies animais e vegetais, além de alguns rios, montanhas e cidades, rendem homenagem ao explorador. Como exemplo, podem ser citadas a corrente marítima de Humboldt, que banha a costa pacífica da América do Sul; o rio e a cadeia de montanhas Humboldt, no Estado de Nevada (EUA); além de Parques com seu nome em Cuba, no Peru e nos EUA.

O trabalho de Humboldt influenciou muitos pesquisadores e escritores do séc. XIX, entre eles Edgard Alan Poe e Charles Darwin. Poe dedicou sua obra Eureka a geógrafo alemão, ao se inspirar em Kosmos para realizar seu projeto, Darwin, por sua vez, fez inúmeras referências a Humboldt no livro A Viagem do Beagle, no qual o biólogo inglês descreve suas explorações científicas na América.

Em seus últimos anos de vida, Humboldt voltou para Berlim, onde, além de lecionar, se tornou conselheiro do rei da Prússia, Morreu em maio de 1859, meses antes de completar 90 anos, deixando enorme legado para a Ciência, Com outro alemão, Karl Ritter, deu o pontapé inicial à Ciência geográfica.

EXPEDIÇÃO NO BRASIL

Em 1800, durante suas navegações pela Amazônia, Humboldt e Bonpland dariam continuidade às investigações em território brasileiro, 'não fossem impedidos por uma patrulha portuguesa. Desconfiados da presença desses homens brancos de lunetas, os guardas portugueses logo os acusaram de espionagem. Sem saber que haviam transposto a fronteira, os exploradores acabaram presos e tiveram seus equipamentos apreendidos. Oito meses se passaram até que o naturalista e seu companheiro de viagem fossem soltos.

Décadas depois, quando o Brasil já havia conquistado sua independência de Portugal, Humboldt foi convidado para arbitrar a respeito de um litígio de fronteira entre o Brasil e a Venezuela. Sem guardar rancor da situação que vivera, o explorador alemão votou a favor de nosso país. Dois séculos depois, como forma de saldar uma dívida histórica, um grupo de cientistas brasileiros completou aquela que seria a missão de Humboldt no Brasil.

Fonte:
Revista Discutindo Geografia nº13